Blog

5 dicas para descobrir se o HD está com defeito

Dicas

Descobrir se um HD está defeituoso ou se apresenta sinais que poderá dar problemas em breve não é muito difícil. Esse é um componente que emite uma série de sinais quando as coisas não vão bem. Assim, se você puder evitar um problema maior, melhor.

Ao perceber que alguma coisa está errada, a primeira ação que você deve tomar é a de fazer um backup de tudo aquilo que você considera importante. Salve seus arquivos de imagem, vídeos e documentos na nuvem ou em outra unidade removível, como um HD externo ou um pendrive. Não deixe para depois, pois um problema pode acontecer quando você menos esperar.

Neste artigo, listamos cinco dicas que podem ajudar você a descobrir se o seu disco rígido apresenta – ou pode apresentar – algum defeito. Identifique os sinais e boa sorte na prevenção.

1. O HD está lento ou trava frequentemente

Esse pode ser um sinal de que as coisas não estão bem. HDs que travam com muita frequência ou que se comportam de forma mais lenta do que o normal são um indício que problemas estão por vir. A famigerada “tela azul da morte”, por exemplo, pode ser causada justamente por problemas no disco rígido.

Vale lembrar que esse sintoma não é exclusivo de um problema no HD, mas é uma possibilidade. Nesse caso, recomendamos que você tente reinstalar o sistema operacional para excluir essa possibilidade. Independentemente do resultado, tenha em mente que esses sinais significam que você deve fazer um backup imediatamente dos seus arquivos.

2. Os dados estão sendo corrompidos

Outro sintoma de HD defeituoso são arquivos corrompidos. Quando isso ocorre com muita frequência é possível que o disco rígido esteja vivendo os seus últimos dias. Em média, a vida útil de um HD gira em torno de cinco a dez anos e esse é um sinal comum de que o dispositivo apresentará problemas.

Além de arquivos corrompidos, outra consequência típica são dados que somem sem explicação, sejam eles arquivos ou programas. Isso ocorre porque provavelmente, em algum setor do HD, já há algum problema em curso. Novamente, ao perceber algo assim, providencie um backup imediatamente.

3. Ruídos e sons estranhos

Os HDs são dispositivos mecânicos, composto de uma agulha que faz gravações em um disco. Seja durante a leitura ou a gravação de dados, se você começar a ouvir alguns ruídos estranhos, semelhantes a pequenas travadas dentro do seu PC, é sinal que alguma coisa não vai bem.

A causa disso pode ser desde um motor emperrado até uma agulha fora de lugar. Esse tipo de problema é mais comum em notebooks, pois o movimento do aparelho dentro da mochila ou as trepidações podem fazer com que esses componentes fiquem avariados. Na dúvida, salve seus arquivos em outro lugar.

4. O Windows não reconhece o HD

Aqui entramos em um campo em que o problema pode ser mais sério. Se o Windows não reconhece mais um HD, pode ser que o sistema operacional esteja defeituoso e uma reinstalação pode tirar essa dúvida. No entanto, é comum também que um HD problemático acabe sendo “isolado” pelo SO.

Em menor escala, cabos ou mesmo a conexão com a placa-mãe podem ainda ser as causas do problema. Nesse caso, vale a penar retirar o HD e testá-lo em outro computador. Se não for possível, procure ajuda profissional para que eles possam checar se o dispositivo está mesmo com problemas. Além disso, você vai precisar de ajuda para recuperar os seus dados, que se tornam inacessíveis por vias normais.

5. Use um aplicativo de diagnóstico

Outra maneira de descobrir se existe algum problema com o seu HD é por meio de ferramentas de diagnóstico. Uma das mais conhecidas do mercado é a CrystalDiskInfo, desenvolvida pela CrystalMark. O software é completamente gratuito e pode ajudar a diagnosticar os problemas mais comuns.

Note que ele não é aplicativo definitivo e um bom resultado nos testes não indica, necessariamente, que não há nenhum problema. No entanto, ele é capaz de identificar danos mais frequentes, servindo como um bom alerta de que está na hora de fazer um backup e salvar os seus arquivos enquanto ainda há tempo.

Fonte(s): Life Hack e Make Use Of

Comment Facebook
Post Relacionado