Blog

Quanto tempo dura um SSD?

Tecnologia

Quanto tempo dura um SSD? A resposta para essa pergunta não pode ser comprovada, mas há estimativas que podem indicar de forma aproximada por quanto tempo um componente como esse é capaz de se manter ativo.

Esses dispositivos de armazenamento de informações vêm continuamente tomando o lugar dos HDs. Por suas características – a leitura não ocorre de forma mecânica – estima-se que a sua vida útil seja maior do que a dos HDs. Porém, na prática, isso significa que os seus dados estarão a salvo por quantos anos?

A vida útil de um SSD

Os primeiros modelos de SSD, muito mais simples do que os atuais, começaram a chegar ao mercado no início da década de 90. Isso significa que esse produto ainda não tem 30 anos de história e, portanto, afirmar que os dados armazenados neles podem durar mais do que 30 anos não passa de uma estimativa.

Porém, é justamente por meio de estimativas que a indústria trabalha. Existe uma fórmula para calcular a vida útil de um SSD. O cálculo é o seguinte:

Ciclos de gravação x capacidade de armazenamento

Fator SSD x quantidade de dados gravados por ano

Vamos tomar como exemplo um modelo de SSD, o Samsung 850 Pro. Segundo o fabricante, o produto pode realizar com tranquilidade pelo menos 3 mil ciclos de gravação de dados. Essa quantidade varia de modelo para modelo, mas nesse caso falamos da versão com capacidade de armazenamento de 1 TB.

O Fator SSD especifica a taxa da quantidade real de dados se comparado com os dados gravados. Em geral, utiliza-se um valor alto nesse quesito (“5” ou “4” são variáveis bastante aceitas). Por fim, leva-se em consideração a quantidade de dados que são gravados no período de um ano – algo também que precisa ser estimado. Vamos supor, nesse caso, 1,75 TB/ano.

Aplicando os valores à fórmula, temos o resultado, em anos:

3000 x 1000 GB

5 x 1750 GB

O resultado dessa equação é 343 anos. Note que esse não é um número garantido pelo fabricante, mas se forem seguidas todas as recomendações de uso e forem realizadas tantas gravações quanto indicadas nos cálculos, a estimativa de vida de um componente eletrônico como esse é de mais de três séculos.

Durabilidade para toda a vida

Na prática, isso significa que os dados gravados em um SSD são capazes de durar uma vida inteira de um ser humano. No entanto, há outros fatores que precisam ser observados, como a compatibilidade entre os sistemas. Nada nos garante, por exemplo, que daqui a 300 anos existirão computadores compatíveis com a leitura de SSDs com três séculos de existência.

Existem softwares que auxiliam a determinar a vida útil de um SSD. Eles fazem isso a partir do cálculo de ciclos já realizados. É o caso do SSD Life, disponível em versão portátil e também para ultrabooks.

Outros fatores são capazes de proporcionar variações ao tempo de vida útil do produto. Existem modelos do tipo SLC (Single Level Cell), MLC (Multi Level Cell) e TLC (Triple Level Cell). Os do tipo SLC gravam 1 bit por célula, os MLC dois e os TLC três.

Por fim, quando comparados aos HDs, os SSDs apresentam uma grande vantagem nesse sentido. Enquanto os HDs têm a sua vida útil reduzida à medida que gravam ou leem dados, os SSDs só se degradam quando dados são gravados.

Em outras palavras, isso significa que você não precisa se preocupar com a durabilidade e a confiabilidade desses dispositivos no que diz respeito à manutenção das informações armazenadas. Se você operá-lo de maneira correta, certamente terá o seu SSD em funcionamento pelo tempo que for preciso.

Fonte(s): CompuRAM e Ontrack

Comment Facebook
Post Relacionado