Tecnologia LTO (Linear Tape Open)

As fitas LTO descrevem um conjunto de normas para as unidades que podem ser fabricadas por qualquer titular de licença LTO. HP, Seagate e IBM foram as primeiras a criarem um padrão que mais tarde foi adotado por vários outros fabricantes de mídia, incluindo Quantum, Tandberg, Imation, Maxell e Sony.

Unidade e Mídia LTO

Inicialmente, pretendia-se criar dois formatos de fita LTO, mas a Ultrium é a única que existe, e LTO passou a significar Ultrium. Os cartuchos Ultrium têm um único carretel, similar em estilo às 3480, 3590 e DLT. Independentemente de ser ou não um estilo de cartucho testado, a semelhança física com outros tipos de fitas significava que as Ultrium poderiam ser adotadas por outros fabricantes por um preço relativamente baixo. Teria sido um grave inconveniente para o formato se isso tivesse acontecido, já que Quantum e Ultrium estavam na corrida com a Super DLT, que era fisicamente idêntica à DLT e poderia ter continuado com seu domínio no mercado.

O outro formato (que na verdade nunca chegou) parecia bastante com um cartucho IBM Magstar 3570. O fornecimento e o carretel estavam dentro do cartucho, e o ponto de carga estava a meio caminho ao longo da fita, para permitir tempos de acesso mais rápidos para aplicações de armazenamento near-line. Porém, isso ficou tudo no papel, pois a Accelis nunca foi produzida.

Um novo formato de fita é sempre uma aposta, devido aos grandes investimentos feitos nos já existentes tipos de fitas. Não havia meios pelos quais Ultrium poderia chegar ao mercado como uma unidade que também pudesse ler fitas existentes, mas o cumprimento rigoroso do padrão e do plano de desenvolvimento parecia dar bastante confiança no futuro da Ultrium para que esta pudesse ser prontamente adotada.

Como a LTO Ultrium Funciona

A LTO utiliza o método de gravação serpentina/linear semelhante ao da DLT (em oposição com a metodologia de varredura helicoidal empregada pelas DAT, AIT, Exabyte). A mídia de gravação é de 1/2” (1,27 centímetros) e está alojada em um cartucho de aproximadamente 4” (10,5 centímetros) quadradas.

Acima: Gravação Linear/Serpentina

Como acontece com muitos outros tipos de mídia onde a gravação linear é utilizada, os dados são gravados como uma sequência de faixas que são executadas alternadamente, para a frente e para trás, ao longo da fita. Esta técnica é conhecida como a gravação serpentina. Ao contrário da maioria dos formatos de discos de gravação helicoidais, pelo tempo que o fim lógico da fita é atingido, a mídia volta ao início fisicamente.

A mídia está em um único carretel, ao contrário das fitas cassete, e a fita é desenhada dentro do case e enrolada em torno de um carretel dentro da unidade.

Recuperação de Dados de Fitas LTO

Os cartuchos e drives Ultrium são bem projetados, e um grande esforço tem sido empreendido para evitar desgaste indevido dos mesmos. O mecanismo de carregamento de fita é bastante suave, e os roletes de guia de fita são chanfrados para evitar danos para a borda da fita. Nós não recebemos muitas fitas Ultrium com danos físicos na unidade, no entanto, elas ainda se desgastam se usadas em demasia, e uma unidade com falhas pode danificar uma fita ou produzir uma gravação defeituosa.

Como todas as fitas, elas ainda estão sujeitas a erro humano, e problemas lógicos também podem ocorrer. Se os dados gravados nas fitas estiverem errados, não importa o quão bem eles estão fisicamente gravado, a recuperação de dados é necessária para obter seus arquivos de volta.

Voltar